teresa e o aquário

Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam
Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam

Teresa e o Aquário | fotografia de Bruno Gularte Barreto
Teresa e o Aquário | fotografia de Bruno Gularte Barreto

Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam
Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam

Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam
Teresa e o Aquário | fotografia de Pedro Karam

1/7

Teresa e o Aquário é livre adaptação do conto “Teresa ainda olhava para o Aquário”, de Luciano Mattuella. Teresa, ao ganhar de seu marido um aquário de peixes coloridos, entra em um processo de catatonia. A personagem mergulha em um universo onde ninguém tem acesso.

A cena é o aquário onde surgem os devaneios de uma mulher petrificada na carne, mas liberta em seus sentidos e livre de qualquer sentido.

Em “Teresa e o Aquário”, a Cia. melhor desenvolveu sua pesquisa com as tecnologias audiovisuais, a interface corpo-tecnologia, a hibridização do processo sempre presente com referenciais vindos da performance e videoart. A dramaturgia foi construída coletivamente, de imagens corporais e multimídia, e narrativa desconstruída, comunicando através de sensações, memórias e referenciais íntimos. Vídeos captados da cena são projetados e mixados com filmes pré-gravados, acrescentando camadas de leitura narrativa e esteticamente, de forma integrada com a ação performática. O músico multi-instrumentista Roger Canal compôs a trilha sonora que mistura a tradição de instrumentos como o trompete, a escaleta e o bombo leguero à tecnologia do sampler. Roger toca, canta, sampleia e mixa, executando as músicas e ambiente sonoros ao vivo.

 

ficha técnica

Direção: João de Ricardo

Assistência de Direção: Kalisy Cabeda

Performance: Lisandro Bellotto e Sissi Betina Venturin

Direção e operação de vídeo: Bruno Gularte Barreto

Composição e execução de trilha sonora: Roger Canal

Desenho e operação de Luz: Liliane Vieira

Stand-by de Iluminação: Carina Sehn 

Produção: Sissi Betina Venturin e João de Ricardo

Dramaturgia: livremente inspirada no conto “Teresa ainda olhava para o aquário” de Luciano Mattuella. 

Textos originais: Diones Camargo, João de Ricardo,  Lisandro Bellotto e Sissi Betina Venturin.

Classificação indicativa: 18 anos

Duração: 90 minutos